Disputa de vaga para o Senado tem congestionamento de caciques no Rio

Última atualização:

A única vaga ao Senado em disputa nas eleições deste ano já provoca uma espécie de congestionamento no Rio de Janeiro. É que nas duas chapas mais bem colocadas neste momento ao governo do estado há mais postulantes ao Senado do que vaga disponível

Na chapa do governador Cláudio Castro (PL), que tentará a reeleição com o apoio do presidente Jair Bolsonaro e da sua família, o concorrente ao Senado deverá ser o ex-jogador Romário Faria (PL), que tenta se reeleger.

Outros personagens importantes da política do Rio também tentarão disputar a vaga com o apoio do presidente ou do governador, caso de Marcelo Crivella (Republicanos). Crivella é próximo a Bolsonaro e já mandou avisar no seu partido que o seu desejo é tentar à vaga em outubro deste ano.

Outro que vai embolar a disputa na base de apoio de Castro e Bolsonaro é o prefeito de Duque de Caxias, Washinton Reis (MDB).

Por fim, o deputado e pastor evangélico Otoni de Paula, atualmente no PSC, tem dito a interlocutores que recebeu convite do PTB de Roberto Jefferson para disputar à cadeira e que tem interesse nisso.

À esquerda, dois nomes são lembrados para o cargo: o deputado Alessandro Molon (PSB) e o presidente da Alerj, André Ceciliano (PT), que também se movimenta de olho numa eventual candidatura ao Governo.

Com informações da revista Veja