Dilma lamenta a morte de Jô e lembra que ele foi a única voz da Globo a ouví-la quando ela estava sendo derrubada

A ex-presidenta Dilma Rousseff emitiu nota agora há pouco lamentando a morte de Jô Soares, que classificou como “humorista brilhante e um entrevistador sensível, um artista e intelectual de grande dimensão”.

Dilma lembrou: “Quando eu estava sob intenso ataque da mídia e dos adversários políticos, pouco antes do processo de impeachment, em abril de 2016, ele abriu seu programa para me entrevistar.”

“Foi a única voz dentro da Globo disposta a me ouvir naquele momento. E disso eu não me esqueço. Jô foi um democrata e era um artista de princípios.”

Leia a íntegra da nota de Dilma:

“É com tristeza que recebo a notícia da passagem de Jô Soares. Escritor notável, humorista brilhante e um entrevistador sensível, Jô foi um artista e intelectual de grande dimensão.

“Quando eu estava sob intenso ataque da mídia e dos adversários políticos, pouco antes do processo de impeachment, em abril de 2016, ele abriu seu programa para me entrevistar.

“Foi uma conversa respeitosa e muito importante. Jô foi a única voz dentro da Globo disposta a me ouvir naquele momento. E disso eu não me esqueço. Jô foi um democrata e era um artista de princípios.

“Lamento profundamente sua morte. O Brasil perde um grande artista e eu, atrevo-me a dizer, perdi um amigo. Meus sentimentos aos familiares, admiradores e fãs deste artista brasileiro de rara sensibilidade.

“Dilma Rousseff”