Juiz que cuida do caso do ex-ministro Milton Ribeiro recebeu centenas de ameaças de morte 

O JUIZ RENATO BORELLI
Última atualização:

 Renato Borelli, juiz da 15ª Vara Federal de Brasília responsável pelo caso de Milton Ribeiro, sofreu centenas de ameaças de “grupos apoio ao ministro”.

De acordo com as informações passadas ao Metrópoles, as ameaças foram levadas à Polícia Federal para a devida investigação.

Milton Ribeiro e mais quatro pessoas foram presas preventivamente na operação Acesso Pago, da Polícia Federal, na quarta-feira (22/6).

O ex-ministro e os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos passarão por audiência de custódia nesta quinta-feira (23). De acordo com informações da Justiça Federal, as audiências estão previstas para as 14h desta quinta.

Mais duas pessoas foram detidas durante a ação: o ex-assessor do MEC e advogado Luciano de Freitas Musse e o ex-assessor da Prefeitura de Goiânia Hélder Diego Bartolomeu.

Borelli havia negado o pedido da defesa do ex-ministro para que ele permanecesse preso em Santos e participasse da audiência de forma on-line. A PF, porém, teria argumentado não conseguir prover a logística necessária ao deslocamento para Brasília até as 14h, por isso Milton Ribeiro participará da audiência por videoconferência.