Depois de admitir que não é mais candidato à presidência, Mandetta diz que até pode ser, se o seu novo partido quiser

Última atualização:

O ex-ministro da Saúde do governo Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta (DEM), avisou a cúpula do União Brasil, partido que será formado com a fusão entre DEM e PSL, que não é mais pré-candidato à Presidência da República em 2022.

Ele prefere ser candidato a algum cargo legislativo pelo Mato Grosso do Sul.

A informação é do site Poder 360.

Ele já foi deputado federal durante dois mandatos pelo estado.

Depois que a notícia foi publicada, Mandetta veio a público dizer que não é bem assim. Que ainda pode ser candidato, se o seu novo partido quiser e que o presidente do União Brasil interpretou mal uma conversa entre os dois.

O motivo formal da desistência de Mandetta seria possibilitar que o União Brasil apoie outra candidatura da chamada “terceira via”, como Sérgio Moro (Podemos), o candidato que as prévias do PSDB definir ou a senadora Simone Tebet (MDB), que ainda não teve a pré-candidatura oficialmente lançada.

O motivo não formal da desistência de Mandetta é mais simples: falta de votos.

O futuro presidente do União Brasil, Luciano Bivar, não descarta uma candidatura própria da nova sigla, mas hoje não há um nome.

“Estamos vendo quem aceitará efetivamente ser o candidato. Estamos considerando também outras candidaturas (de outros partidos), como a gente pode se agrupar, com o MDB, o PSDB e o Podemos”, disse Bivar em entrevista ao Estadão.