Nem o centrão aguenta mais Paulo Guedes, e diz que a sua retórica “prescreveu”

Em jantar esta semana, parlamentares afirmaram que ministro da Economia perdeu credibilidade

Deputados e senadores do Cetrão que conversaram com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, num jantar esta semana, não pouparam críticas ao ministro da Economia, Paulo Guedes. No evento promovido Frente Parlamentar Mista do Empreendedorismo, Campos Neto ouviu queixas sobre a fragilidade das reformas e ponderações de que a retórica de Guedes “prescreveu”, além de cobranças para a retomada do crescimento no ano eleitoral de 2022.

Segundo informações da coluna de Vera Rosa, do Estadão, amigo do ministro da Economia, o presidente do Banco Central respondeu às perguntas sem cair nas armadilhas políticas.

“O Roberto foi apertado de todo jeito, mas se saiu com elegância invejável das intrigas e cascas de banana que lançaram sobre sua relação com Guedes”, disse o senador Esperidião Amin (PP-SC), um dos participantes do jantar, que reuniu 55 parlamentares. O PP de Amin é o principal partido do Centrão.

Muitos manifestaram preocupação com os rumos da economia e destacaram que Guedes perdeu credibilidade.

Embora o jantar tenha reunido integrantes do centrão e de partidos que se aliam ao governo mesmo sem compor o bloco, não faltaram estocadas na direção do Palácio do Planalto. A avaliação ali foi a de que promessas feitas por Guedes não têm mais eco e o ministro enfrenta intenso processo de desgaste.

“Ele sempre tem a convicção de que vai acertar na mosca, só que isso não acontece”, observou o deputado Alceu Moreira (MDB-RS), ex-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). “Não conseguimos ver o pensamento do grande Posto Ipiranga gerar resultados.”

A manifestação do deputado provocou surpresa. Motivo: Moreira é visto como um dos mais fiéis bolsonaristas na bancada do MDB.