No “Programa do Jô”, Bolsonaro “confessa” que defendeu fuzilamento de FHC para aparecer na mídia, lembra Tales Faria, do UOL (vídeo)

O colunista Tales Faria, em postagem agora há pouco em seu blog, no portal UOL, lembrou a confirmação que o presidente Jair Bolsonaro, então deputado federal, fez ao apresentador Jô Soares de ter dito que pedira o fuzilamento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. E o fez achando graça de sua afirmação, para a perplexidade de Jô. Leiam a coluna de Tales:

“No tempo em que o então deputado Jair Bolsonaro rogava para aparecer na mídia, ele mandou email para o “Programa do Jô” cobrando direito de resposta. O apresentador que morreu nesta sexta-feira, 5, havia criticado as ideias ultraconservadoras do parlamentar.
Jô então concedeu espaço de 21 minutos para Bolsonaro, mas insistiu no debate. Quando puxou o assunto de uma defesa que Bolsonaro fez do fuzilamento do então presidente da República Fernando Henrique Cardoso o deputado riu. E confessou: “Se eu não peço o fuzilamento de FHC, jamais você estaria me entrevistando aqui agora.”
Hoje, que conseguiu ser eleito presidente, Bolsonaro foge de entrevistas que não sejam sob seu estrito controle. Acaba de se recusar a comparecer aos estúdios da TV Globo para a sabatina que o Jornal Nacional faz com candidatos a presidente. Só aceitaria se fosse no Palácio.
Ele vai continuar fugindo de entrevistas sérias durante a campanha. Afinal, a partir dessa entrevista com o Jô Soares, por exemplo, ele teria que explicar por que agora defende as privatizações que apontou como motivo para o fuzilamento de FHC.
Na entrevista, Bolsonaro classificou como uma “barbaridade” privatizar a Vale do Rio Doce, as telecomunicações e “entregar nossas reservas petrolíferas ao capital estrangeiro”.
Dá para entender porque está fugindo da raia agora. Mas se tivesse sido cassado por defender fuzilamento de um presidente da República a história seria outra.

Assista ao vídeo: