PL cede a Bolsonaro e rompe com Doria e ACM Neto para garantir filiação do presidente no dia 30

247 – O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, cedeu à pressão feita por Jair Bolsonaro para se filiar ao partido e prometeu ao presidente da República que irá romper os acordos que haviam sido firmados com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e com o vice-presidente do União Brasil e ex-prefeito de Salvador, Bahia, ACM Neto.

Pouco depois de confirmar o acordo, o PL anunciou que a cerimônia de filiação será realizada no dia 30 deste mês.

De acordo com o jornal O Globo, Costa Neto havia prometido a Doria que iria apoiar a candidatura do vice-governador, Rodrigo Garcia (PSDB) na disputa pelo governo paulista, uma vez que o PL está aliado aos tucanos na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

Uma das exigências de Bolsonaro para sua filiação, porém, foi de que o partido não apoiasse o tucano em 2022, já que considera a possibilidade de lançar o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para disputar o Palácio dos Bandeirantes.

Na Bahia, o PL estava comprometido com uma aliança firmada junto ao União Brasil, fruto de uma junção entre o DEM e o PSL. No acordo firmado por Costa Neto, o PL daria apoio ao ex-prefeito ACM Neto na disputa pelo governo estadual, que tem como principal adversário o ex-governador Jaques Wagner (PT).