Presidente da Fiesp defende urnas eletrônicas e diz que Brasil deveria estar discutindo agenda de desenvolvimento

"Não existe liberalismo sem democracia", segundo Josué Gomes da Silva

Josué Gomes da Silva

A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) publica nesta sexta-feira (5) seu manifesto “Em defesa da Democracia e da Justiça” em anúncios nos principais jornais do país.

“É natural que a Fiesp assine um manifesto em defesa da democracia, já que não existe liberalismo, economia de mercado ou propriedade privada, valores tão caros à entidade e ao setor industrial, sem que exista segurança jurídica, cujo pilar essencial é a democracia e o Estado de Direito”, disse em entrevista à Folha de São Paulo o empresário Josué Gomes da Silva, presidente da entidade.

De acordo com Josué Gomes da Silva a urna eletrônica não deveria ser tema em discussão no atual momento. Para ele, o prioritário é debater sobre uma agenda para o país, para fomentar o desenvolvimento. O empresário disse ainda que a contestação da confiabilidade do sistema eleitoral e do Judiciário cria insegurança. 

“Temos que defender o que é central para a democracia, o processo eleitoral, que, ainda mais no Brasil, é um processo seguro, já amplamente demonstrado, e que tem feito eleições desde 1996 com sucesso e sem questionamento”, disse Josué. Ele também afirmou que não há liberalismo sem democracia, uma vez que o estado de direito garantiria a propriedade e os contratos numa sociedade capitalista.