Lula com sinal amarelo piscante, Bolsonaro com sinal verde.

Última atualização:

* Paulo Baía

A pesquisa do IPEC – Inteligência em Pesquisa e Consultoria (ex- Ibope), no Rio de Janeiro, divulgada no dia 21 tem um dado de expressiva importância para a campanha a presidente da república, em relação à polarização Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro, quando comparada à pesquisa anterior feita no em maio de 2022, usando exatamente a mesma metodologia, a mesma técnica de sondagem, Jair Bolsonaro teve seus índices bem melhorados, diria bastante melhorados.

A aprovação a seu governo aumentou e as citações de votos a favor de Jair Bolsonaro aumentaram de 31 para 34 por cento .

Lula da Silva teve queda em suas citações de voto, que eram de 46% e caíram para 41%. A diferença que Lula tinha no final de maio, segundo o IPEC, era de 15 pontos percentuais e caiu para 7% nessa enquete de 21 de julho. Jair Bolsonaro está avançando no estado do Rio de Janeiro, Lula da Silva está regredindo de forma significativa.

A avaliação que faço, com dados de muitas pesquisas quantitativas e qualitativas, exclusivamente para o estado do Rio de Janeiro, é que a eleição para presidente da república está rigorosamente polarizada entre Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva até o final do mês de julho.

A sociedade brasileira não terá a possibilidade de avaliação e escolha dos demais candidatos à presidência, em especial os mais conhecidos e potentes, como Ciro Gomes e Simone Tebet.

Simone e Ciro não possuem condições objetivas e concretas de competitividade para disputar uma das duas vagas para Presidente da República no dia 02 de Outubro de 2022.

O que está retratado agora, no final da segunda quinzena do mês de julho é que apenas dois nomes possuem condições objetivas de chegar em primeiro e segundo lugar, estes nomes são Lula da Silva e Jair Bolsonaro.

Com essa pesquisa do IPEC também não é possível afirmar que o primeiro lugar será Lula, como também não é possível afirmar que o primeiro lugar será Jair Bolsonaro.

Com os dados e informações do IPEC igualmente, é impossível afirmar que Lula da Silva ganhará no primeiro turno.

O fato concreto durkheimiano é que temos Lula da Silva e Jair Bolsonaro em condições iguais de competitividade eleitoral para o dia 02 de outubro.

Outro fato aparentemente irreversível é que os candidatos André Janones (AVANTE), Ciro Gomes (PDT), Felipe d’Avila (NOVO), José Maria Eymael (DC), Leonardo Péricles (UP),Luciano Bivar (UNIÃO), Pablo Marçal (PROS), Simone Tebet (MDB), Sofia Manzano (PCB) e Vera Lúcia (PSTU) serão candidatos e farão o jogo como coadjuvantes ora de Lula ora de Jair Bolsonaro ou de suas redes político-ideológicas.

Gosto de eleições com muitas candidaturas, dão tempero, vigor e alegram o pleito, mesmo em uma eleição concentrada, que é plebiscitária, em que o eleitor está coagido pela obrigatoriedade do voto, vai dizer não a um ou não ao outro, e os eleitores de boa vontade dirão sim a um ou sim ao outro.

Temos então o cenário monopolizado por Jair Bolsonaro e Lula da Silva.

É sim a Lula ou sim a Jair bolsonaro.

É não a Lula ou não a Jair Bolsonaro.

O jogo eleitoral de 02 de outubro de 2022, como esse retrato da pesquisa do IPEC já definiu, é o jogo do dia 30 de outubro com Lula e Jair Bolsonaro ou Jair Bolsonaro e Lula.

Ao analisar mais de 5O pesquisas quantitativas e 80 qualitativas, arrisco, ouso uma previsão: quem definirá o ranking dos finalistas no dia 02 de outubro de 22 são as classes médias baixas e os pobres (B2, C1 e C2), usando os critérios de definição por categorias hierarquizadas socioeconomicamente e por condições de consumo, usadas por todos os institutos de pesquisa, com base na “Classificação” elaborada pela ABEP- Associação Brasileira de Pesquisas.

É bom e oportuno sempre afirmar e ressaltar que não se comparam pesquisas de Institutos diferentes e que a tese de um “Agregador de Pesquisas” é uma FRAUDE.

Na região sudeste, basicamente nos mais populosos estados da região, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, a população que é definida pela técnica de pesquisa de mercado da ABEP, como B2, C2 e C1, é imensa.

Isso significa que são os pobres e as classes médias baixas, os pobres com alguma renda urbana da Região Sudeste é que vão, efetivamente, definir a posição dos dois candidatos que irão para a disputa no dia 30 de outubro de 22.

Continuo insistindo nessa possibilidade, nesse cenário, descarto a possibilidade de vitória de Jair Bolsonaro ou de Lula da Silva no primeiro turno no dia 2 de outubro de 2022.

Teremos um segundo turno com certeza, e esse segmentos – B2, C1 e C2, que são definidos detalhadamente no Link: https://www.abep.org/edep2022.aspx serão os segmentos definidores do pleito eleitoral de 2022.

Volto a uma expressão que usei no artigo anterior, dirigindo um recado aos militantes e estrategistas da “Campanha” de Luiz Inácio Lula da Silva, o sinal não está fechado, mas está Amarelo Piscante, ou seja: MUITO ATENÇÃO, MUITO CUIDADO, O sinal está Amarelo Piscante.

A previsão de luz Amarelo Piscante para Lula da Silva representa risco real de chegar em segundo lugar no dia 02 de outubro e no dia 30 de outubro.

Representa possibilidade real de vitória de Jair bolsonaro.

Essas “histórias” fantasiosas e histéricas de GOLPE para cá, GOLPE para lá, isso é história da carochinha, pra boi dormir, faz parte da Estratégia Eleitoral de Jair Bolsonaro, que está dando certo.

Podemos dizer que a Estratégia eleitoral/ política de Luiz Inácio Lula da Silva também está dando certo.

Digo que a estratégia eleitoral de Lula da Silva dá certo em 60% e podemos dizer que a estratégia eleitoral de Jair Bolsonaro está dando certo em 75% , portanto, vejo com mais condições vantajosas, com foco nessa pesquisa do IPEC: uma vantagem muito maior e eficaz para Jair Bolsonaro do que para Lula, somente no estado do Rio de Janeiro.

Com o cenário eleitoral para Presidente da República no três principais colégios da região sudeste, percebe-se que Jair Bolsonaro está muito bem posicionado e avançando sobre Lula da Silva, mesmo Lula da Silva estando bem posicionado nessa pesquisa do IPEC.

Lula da Silva está, com otimismo, estacionado, mas na real, está regredindo.

* Sociólogo, cientista político , técnico em estatística e professor da UFRJ em 24 de julho de 2022.