O Rio de Janeiro no caminho certo

"A recuperação sustentável da economia, mesmo diante da pandemia, é a principal carta de apresentação do Estado aos investidores".

Última atualização:

Por Cláudio Castro*

Os recentes esforços do Governo do Estado apresentam resultados positivos para quem vive no Rio de Janeiro, mas também atrai a atenção internacional, com a projeção de um cenário positivo para os próximos meses. Em razão disso, fui convidado para o mais importante evento sobre governos locais inteligentes realizado na América Latina, o Smart City Expo Latam Congress, que custeou as despesas da viagem. O evento abordou os desafios tecnológicos e as oportunidades de inovação para os governos locais latino-americanos após a pandemia.

Para uma plateia de representantes de governos, instituições públicas e privadas internacionais, apresentei as medidas para estabelecer um ambiente de negócios favorável ao investidor e à instalação de empresas, além da simplificação de processos regulatórios. A revitalização da imagem do Rio de Janeiro é consequência de uma nova conjuntura política e econômica marcada pela excelente cooperação com o Governo Federal, o Poder Legislativo e as Prefeituras.

Vivemos um novo momento. No primeiro semestre, o Estado apresentou um saldo positivo de US$ 6,1 bilhões no comércio exterior, o que representa um aumento de 358%, se comparado com o mesmo período do ano passado. O saldo do que foi exportado e importado foi de US$ 25,6 bilhões: 13% maior do que no mesmo intervalo de 2020. O resultado positivo é reflexo e prova inequívoca do reaquecimento da economia.

Ao mesmo tempo, o Estado estimula o empreendedorismo como forma de reforçar a política de atração de empresas. De janeiro a agosto, foram anunciados cerca de R$ 68 bilhões em investimentos nacionais e internacionais, que serão realizados pela iniciativa privada em todo o Estado do Rio, nos próximos anos. Os recursos privados destinados ao Rio refletem o otimismo de representantes de diferentes setores. A desburocratização possibilitou a abertura de empresas em tempo cada vez menor, em apenas 41 minutos, atualmente. O processo pode ser feito por celular e de qualquer lugar do mundo. Segundo a JUCERJA, de setembro de 2020 a setembro de 2021, foram abertas 74 mil empresas, com os meses de fevereiro a julho batendo recorde dos últimos 20 anos. O volume de financiamentos concedidos pela Agência Estadual de Fomento do Rio de Janeiro (AgeRio) nos últimos 12 meses foi de R$ 208 milhões, atendendo a 11 mil clientes entre micro, pequenos e médios empreendedores.

A vocação turística é outro potencial que volta a ser explorado com o avanço da vacinação. O maior volume de recursos está concentrado para o último trimestre do ano, quando R$ 12 milhões serão investidos em divulgação na alta temporada. A marca do Rio de Janeiro como cartão-postal do Brasil tornou o Estado um dos lugares mais conhecidos do mundo. O setor hoteleiro volta a apresentar bons números, principalmente, com a divulgação de roteiros ainda pouco explorados, como o Vale do Café e a região turística da Serra Verde Imperial.

A recuperação sustentável da economia, mesmo diante da pandemia, é a principal carta de apresentação do Estado aos investidores. Com diálogo, trabalho e simplicidade, estou certo de que o protagonismo do Rio de Janeiro será cada vez mais pujante no cenário internacional como um dos principais destinos de investimentos do país.  

*Cláudio Castro é governador do Estado do Rio de Janeiro