Ciro Gomes, setembro em Paris é uma epifania

Paris
Última atualização:

* Paulo Baía.

O mês de setembro é um mês delicioso em toda a Europa, na França, na Itália, na Grécia, em Portugal e na Espanha em especial.
Em setembro e outubro a Europa fica deslumbrante, com temperaturas amenas, nas manhãs não faz calor nem faz frio. O clima é aconchegante no correr do dia, com uma madrugada propícia para um sono cheio de sonhos ou noitadas de boêmia.
Em setembro muito se pode fazer em Paris, longos e vagarosos passeios de barcos pelo Rio Sena, passeios de bicicletas, caminhadas que são um devaneio, passeios de automóvel ou trem para os arredores e/ou cidades do interior próximas de Paris. Conhecer ou reviver os circuitos de gastronomia, dos queijos, dos vinhos, dos pães e doces da Paris estendida.
Setembro e outubro em Paris e na Europa podem facilitar a vida de Ciro Gomes, retirar seu azedume, lhe trazer sorrisos e frescor ao rosto, ao corpo e à alma.

Ciro Gomes não precisa esperar o dia 3 de outubro para viajar para Paris, com esticadas a Itália, a Grécia, a Portugal, a Espanha, ao Mediterrâneo.
Viajar para Paris agora no final de agosto e passar todo mês de setembro em Paris é uma dádiva para ele, para sua família, para a sociedade brasileira em seu conjunto.

França, Itália, Grécia, Portugal e Espanha durante os meses de setembro e outubro é um privilégio raro, um privilégio maravilhoso para um ser humano cheio de boas intenções, embora irascível ao pronunciá-las.
A eleição de 02 de outubro de 2022 no Brasil terá um percurso de areia movediça, a aridez do sertão e o calor úmido extremado de Belém e Manaus.
Ciro Gomes pode mudar sua vida, alegrar a sua alma e arejar a vida do Partido Democrático Trabalhista.
A não retirada da candidatura de Ciro Gomes Gomes do certame vai fazer reproduzir no PDT o que aconteceu no MDB em 2018 com Henrique Meireles e está acontecendo agora com a brava e preclara senadora Simone Tebet no MDB de 2022. Será candidato constrangedor para a militância trabalhista e socialista do PDT, que estará com corações e mentes focados em Lula da Silva e contra Jair Bolsonaro.

Com o conjunto dos velhos sociais democratas das rosas vermelhas do PDT apoiando e pedindo voto de peito aberto e punhos serrados para Luiz Inácio Lula da Silva.
Ciro Gomes vai, cada vez mais se irritar, vai a cada minuto esbravejar contra o isolamento e o abandono que já vive no hoje, no agora, no início do mês de agosto, por aqui em terras brasileiras, em que os setembros e os outubros já são de calor, que aumenta a tensão, aumenta o estresse quando se está no meio de um querela eleitoral.
É melhor para todos e todas residentes do Brasil que Ciro Gomes se vá logo para Paris e para os demais países europeus já neste momento.
Será ótimo para ele e um nirvana para o PDT, os trabalhistas e os socialistas das rosas vermelhas.

Viver os meses de setembro e outubro em Paris, visitar seus centros culturais, museus, galerias, bares e arredores, andar por suas praças e vielas cheias de artes e poesias.
De Paris, como cidade âncora, visitar as várias outras regiões da França, Itália, Grécia, Portugal e Espanha será uma epifania para Ciro Gomes e o eleitorado brasileiro.
Ir para as várias e encantadoras cidades do Mediterrâneo francês e europeu.
Passar uns dias em Marseille e Nice, não deixar de passar algum tempo em Ibiza.

Estar em Paris e na Europa, assistindo jogos de futebol, já em agosto e início de setembro, esperando por outubro com seu friozinho a começar e aumentar até a chegada de dezembro, e as festas de Natal e dia de Reis em 06 de janeiro é uma benção, programa para pouquíssimos brasileiros e brasileiras.
Se Ciro Gomes quer efetivamente contribuir para o retorno do Brasil aos ditames de uma cidadania cívica, ativa, desenvolvimentista, que se vá para Paris no primeiro vôo e por lá fique até o dia 01 de fevereiro de 2023, posse da nova legislatura do Congresso Nacional em Brasília.
Prometo lhe esperar no aeroporto com duas rosas vermelhas e dois cravos vermelhos.

*Sociólogo, cientista político, técnico em estatística e professor da UFRJ.