Nos 90 anos do Cristo Redentor, as orações de Cláudio Castro e Eduardo Paes

Última atualização:

Um ato cívico-religioso na Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira, juntou o governador Cláudio Castro e o prefeito Eduardo Paes para comemorar os 90 anos do Cristo Redentor.

  Durante a   cerimônia – que também celebrou o dia de Nossa Senhora Aparecida –  o governador destacou o caráter simbólico de festejar o aniversário do monumento neste período atual da pandemia da Covid-19.

-É muito singular que os 90 anos do Cristo Redentor sejam comemorados neste momento em que estamos precisando tanto de esperança. Olhando para a história da construção do monumento, podemos ver que se trata de muita fé e resiliência. E é exatamente esta fé que temos que ter agora. Estamos na época da reconstrução, retomada e fim da pandemia. Que esses 90 anos sejam lembrados por todos nós como uma nova vida para a nossa cidade, para o estado e para a nossa nação – afirmou.

A primeira dama, Analine Castro, o governador Cláudio Castro, Dom Orani Tempesta e o prefeito Eduardo Paes

O prefeito Eduardo Paes disse que o imagem do Cristo Redentor é referência para todo o Brasil.

– O Cristo tem um simbolismo muito forte não só para a cidade do Rio como também para o Brasil. Ele é uma espécie de bússola, de norte, de ponto de referência para todos os cariocas e para aqueles que adotam e amam essa cidade. Ao mesmo tempo, o Cristo significa cordialidade, a capacidade do nosso povo de receber e acolher a todos os visitantes. E, por fim, o Cristo significa um momento de fé e de esperança no futuro – disse o prefeito.

O arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, ressaltou que o Cristo Redentor representa o espírito acolhedor do Rio de Janeiro.

– Nossa cidade tem essa característica de ser acolhedora. Celebrar esses 90 anos significa destacar cada vez mais a importâncias de sermos sociedade acolhedora, aberta a todos, como os braços do Cristo Redentor – disse.