Rodrigo Neves avança sobre as bases do PT diante da crise com o PSB, que insiste na candidatura de Molon ao Senado

PRODRIGO NEVES: MAIS UM PALANQUE DE LULA NO RIO
Última atualização:

Venceu na última sexta-feira, 29, o prazo dado pela Executiva Nacional do PT para o PSB retirar a candidatura de Alessandro Molon ao Senado e, assim, restabelecer os termos do acordo entre as duas siglas, pelo qual cada agremiação indicaria um candidato da chapa majoritária. A despeito dos esforços dispendidos pelo presidente  Carlos Siqueira, Molon se mostra irredutível, o que fragiliza a possibilidade, em contrapartida, de o PT manter o apoio a Marcelo Freixo.

O principal beneficiário da crise nas relações entre petistas e socialistas é o candidato do PDT, Rodrigo Neves, que tem avançado sobre as bases do PT fluminense. Além da manifestação ostensiva de simpatia do vice-presidente nacional Washington Quaquá, Neves obteve declaração de voto do vice-prefeito de Maricá, Diego Zeidan; e de sua mãe, deputada Zeidan. O ex-prefeito de Niterói já tem ao seu lado os principais militantes do PT da cidade, que historicamente são seus parceiros na política local, entre os quais o presidente do diretório municipal Anderson Pipico e a vereadora Verônica Lima.

– Como o prazo se esgotou sem que houvesse qualquer mudança de posição do PSB, me senti inteiramente à vontade para declarar apoio ao Rodrigo, que já foi do PT e tem grande identificação com nossas bandeiras – declarou Diego Zeidan.

Na próxima quarta-feira, a Executiva Nacional do PT vai se reunir para deliberar sobre a posição final do partido no Rio. Se o PSB não retroceder, a tendência majoritária dos integrantes do colegiado é aprovar a proposição de Washington Quaquá, retirando o apoio formal a Marcelo Freixo. Neste caso, a candidatura de Lula no Rio teria vários palanques, entre os quais o de Rodrigo Neves.