Águas do Rio quer levar água com tarifa social a cerca de 10% dos consumidores, com previsão de beneficiar 1 milhão de pessoas

Com previsão total de investimentos de R$ 24,4 bilhões, a empresa vai aplicar nos primeiros cinco anos cerca de R$ 7,4 bilhões

Última atualização:

Em no máximo cinco anos, cariocas e fluminenses devem sentir uma enorme diferença na qualidade das águas da Baía de Guanabara e nos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário. A previsão é de Alexandre Bianchini, presidente da Águas do Rio, empresa vencedora de dois mais importantes lotes da concessão da Cedae. Desde 1º de novembro, a concessionária, do grupo Aegea, responde por este desafio em 27 municípios do Rio e 124 bairros da capital, incluindo toda a Zona Sul, com 10 milhões de pessoas atendidas.

Em entrevista ao Jogo do Poder, Bianchini revelou que a empresa vai ampliar a tarifa social em áreas proletárias do estado dos atuais 0,8% para cerca de 10%, algo em torno de 1 milhão de consumidores.  Segundo ele, será ultrapassado em muito o compromisso contratual de estender o benefício a 5% dos clientes.

– Vamos dobrar o percentual estabelecido em contrato. Em São Gonçalo, por exemplo, há cerca de 200 mil consumidores clandestinos que não estão sequer cadastrados. Vamos regularizar todos através da tarifa social – adiantou

Bianchini afirmou também que o maior desafio deste momento é recuperar a estrutura recebida da Cedae, que, segundo ele, funciona muito aquém da capacidade projetada. A Estação de Tratamento Alegria, por exemplo, no Caju, opera com cerca de 20 % de sua capacidade por problemas técnicos e deterioração de equipamentos.

– Estamos colocando para funcionar, neste primeiro momento, tudo que já encontramos instalado. E este desafio já é grande.

Dentro de alguns meses, os moradores de Copacabana sentirão os primeiros efeitos da atuação da empresa. Deve desaparecer o mau cheiro que há anos incomoda os moradores do Posto 5. Os coletores de esgoto da região estão com enorme acúmulo de detritos, produzindo gás com o odor fétido. Isto, prometeu o executivo, vai acabar rapidamente.

Com previsão total de investimentos de R$ 24,4 bilhões, a Águas do Rio vai aplicar nos primeiros cinco anos cerca de R$ 7,4 bilhões. Segundo ele, o cumprimento desta primeira fase de obras produzirá já uma enorme mudança na qualidade dos serviços.

Bianchini descreveu os planos de recuperação da Baía de Guanabara; asseverou que todos serão cumpridos com rigor, por compromisso contratual. Disse que ainda os técnicos da Aguas do Rio, em conjunto os da Cedae, já trabalham no entorno do Guandu para impedir o retorno da geosmina. Contudo, segundo ele, o problema só será eliminado com garantia absoluta em cerca de dois anos aproximadamente.

Com participação do jornalista Aziz Filho, o Jogo do Poder é apresentado por Ricardo Bruno e vai ao ar domingo, às 22h30, pela Rede CNT de Televisão.